Início » Blog » Fábio Vieira: «Trocava dez mil vezes o prémio que recebi pelo título»

Fábio Vieira: «Trocava dez mil vezes o prémio que recebi pelo título»


Fábio Vieira, internacional sub-21 português, em declarações na sala de imprensa do estádio Stozice, após a derrota na final do Campeonato da Europa da categoria frente à Alemanha:

«Estou feliz pelo prémio que recebi, mas trocava-o dez mil vezes pelo título de campeão europeu. Acho que faltou eficácia. Acho que tanto nós como eles tivemos várias oportunidades para marcar. Eles marcaram e nós saímos por baixo. Infelizmente não conseguimos ganhar o título que era o nosso grande objetivo.

Fizemos um grande jogo. Há que realçar o enorme espírito deste grupo. Foi uma caminhada bastante longa, com muitas dificuldades. Só nós sabemos o que passámos para chegar cá hoje. É muito difícil atingir o patamar que atingimos e só devemos estar orgulhosos disso. 

O que iria ficar na minha memória era o título de campeão. Estávamos cá para ganhar, era a nossa ambição. O que fica é o grande espírito de equipa que mostrámos. 

Criámos várias oportunidades para fazer golo. Esta partida resolveu-se nos detalhes. Eles conseguiram marcar e nós não. Ainda fomos atrás do resultado, criámos algumas oportunidades, mas não marcámos. Estávamos a jogar contra uma boa equipa assim como nós éramos uma grande equipa para nos batermos de frente com a Alemanha. Estamos tristes, mas vamos levantar-nos. Deixámos uma grande imagem do que é a seleção portuguesa.

Não foi só a finalização que falhou. Cometemos alguns erros normais de uma equipa que joga como nós. Temos total confiança uns nos outros. Eles conseguiram marcar, nós não e o desfecho foi esse. Estamos tristes pelo resultado.

Queríamos mais um título. Portugal luta por títulos, é essa ambição de quem veste a camisola da seleção. O pensamento de vitória está sempre presente. Fomos com a máxima confiança e concentração para bater a Alemanha. Eles marcaram e nós não, acho que basicamente foi isso.

Não trememos em momento algum. Fomos uma seleção ofensiva, que procurou desmontar as equipas adversárias e que tentou criar muitas oportunidades. É o nosso estilo de jogo. No jogo anterior tivemos a felicidade de marcar, desta vez não aconteceu.»
 



Fonte

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *