Categories
Notícias

Euro 2020: Espanha-Polónia, 1-1 (crónica)

[ad_1]

A receita, a mesma de sempre. O resultado da confeção, o mesmo do que na entrada em cena no Euro 2020 com um nulo diante da Suécia.

Percentagem elevadíssima de posse de bola, incontável número de passes, facilidade para chegar ao último terço. E dificuldades (quase incompreensíveis, até!) para fazer a diferença dentro dele.

FILME E FICHA DE JOGO

Espanha voltou a ser isto em La Cartuja, Sevilha, diante da Polónia de Paulo Sousa e Robert Lewandowski, que sofreu até chegar ao empate e penou para manter o precioso ponto que a mantém viva na prova.

A roja atravessa uma crise existencial: tão depressa assume o comando de um jogo durante largos minutos, como o perde num piscar de olhos. E é também por aí que se explica o seu insucesso nos dois primeiros jogos do Euro 2020, nos quais foi sempre superior aos adversários, mas não conseguiu derrotá-los.

Morata, de quem Luis Enrique saíra em defesa na véspera do jogo, inaugurou o marcador aos 25 minutos a passe de Gerard Moreno, num lance inicialmente invalidado por fora de jogo, mas com decisão retificada pelo VAR.

Depois do golo, a Espanha procurou gerir o jogo da forma que a caracteriza: com posse de bola, obrigando o adversário a correr atrás dela. Só que nem a Polónia se cansou, nem a Roja o fez com a competência de tempos não muito distantes. Não só não criou as ocasiões de golo que o caudal ofensivo, com muita posse de bola estéril, deveria fazer por justificar, como passou por sérios calafrios. Swiderski (por duas vezes) esteve perto do empate e Lewandowski testou os reflexos de Unai Simón na recarga a um remate ao ferro. Tudo isto dentro dos dez minutos finais da primeira parte.

Na etapa complementar, o inevitável Robert Lewandowski empatou aos 54 minutos. Impôs o físico sobre Laporte e cabeceou para o 1-1.

O golo polaco lançou os espanhóis numa corrida frenética para o regresso à vantagem no marcador. Três minutos depois, Moder pisou Gerard Moreno na área, mas o avançado do Villarreal desperdiçou o castigo máximo e, na recarga, Morata falhou um penálti em movimento.

Luis Enrique e Paulo Sousa mexeram avulso a partir da hora de jogo num jogo de sentido único até final e estratégias diferentes de alcançar a felicidade: a Espanha da única forma que sabe, mas com mais coração. A Polónia em contra-ataque e muito dependente da inspiração de Szczesny.

Espanha e Polónia estão dentro do Euro, embora no terceiro e quarto lugares do Grupo E. De um lado, semblantes carregados de preocupação; do outro, o alívio de quem sobrevive para mais uma final.

[ad_2]

Fonte

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *