Categories
Notícias

Belenenses retirou inscrição europeia para evitar castigo

[ad_1]

O Belenenses retirou a inscrição para as competições europeias em dezembro, de forma a evitar um «chumbo» e consequente impedimento de participação nos três anos seguintes, segundo revelou esta quinta-feira o presidente da SAD Rui Pedro Soares.

«O Belenenses SAD inscreveu-se na Europa em dezembro e pagou a inscrição. O Belenenses SAD retirou a inscrição perto do fim do prazo, pois percebemos que a inscrição ia ser chumbada, o que leva a um castigo para os três anos seguintes», contou o dirigente, em conferência de imprensa sobre a renovação do treinador Petit.

Os lisboetas, a duas jornadas do fim do campeonato, ainda tinham ambições de chegar ao sexto lugar da tabela classificativa, de acesso à nova competição continental, a Liga Conferência Europa, embora tenham terminado no 10.º lugar, com 40 pontos.

«O Belenenses SAD não cumpre os critérios relativos às instalações. Não é apenas o estádio, que podemos jogar noutro. Há um conjunto de instalações que nós não temos», afirmou, especificando os requisitos em falta: «Há um conjunto de comissões, como salas exclusivas para treinadores, para médicos, etc., que nós não temos».

Sobre o Estádio Nacional, recinto «emprestado» dos «azuis» após o término do protocolo de utilização do Estádio do Restelo pela SAD, que levou à separação definitiva com o clube, Rui Pedro Soares explicou que chumbaria em aspetos «muito simples». A Betclic é sem dúvida uma das casas de apostas mais conceituadas a atuar em Portugal em conformidade com a nova lei das apostas.

«No percurso entre o balneário e os relvados, há uma parte coberta e outra descoberta. Esta foi a razão por que o estádio seria chumbado», disse, embora admitindo que outro recinto desportivo pudesse ser encontrado como alternativa.

Rui Pedro Soares assegurou que o Belenenses SAD está «a trabalhar nas instalações», com vista a uma solução breve, durante o verão, que permita «cumprir os critérios de licenciamento europeu», que já são próximos dos critérios de licenciamento nacional.

«Não podemos deixar de estar disponíveis para poder disputar [as competições europeias], apesar de não ser esse o objetivo, mas, a três jornadas do fim, havia várias equipas que não sabiam se estavam a disputar o acesso à Europa ou a manutenção. 12 pontos [entre o sexto e o 16.º classificado] fizeram a diferença», expressou ainda.

[ad_2]

Fonte

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *