Conectar
Topo

O estranho caso da Tecnoforma e as ligações entre Relvas e Passos Coelho

O jornal Público, revela nesta segunda-feira (8 de Outubro de 2012), o estranho caso da empresa Tecnoforma, e que envolve os nomes do primeiro-ministro,Pedro Passos Coelho e do ministro Miguel Relvas. Uma história que convém conhecer…

O jornal Público, revela nesta segunda-feira (8 de Outubro de 2012), o estranho caso da empresa Tecnoforma, e que envolve os nomes do primeiro-ministro,Pedro Passos Coelho e do ministro Miguel Relvas. Uma história que convém conhecer…

Pedro Passos Coelho foi administrador e consultor da empresa, Tecnoforma, uma empresa que venceu candidaturas, atrás de candidaturas, num programa de formação profissional para funcionários camarários, cujo o fundo, era gerido pelo Secretário de Estado da Administração Local da altura: Miguel Relvas.

Só na zona centro do País e em 2003 (quando Relvas era Secretário de Estado e Passos Coelho era administrador da empresa), a  Tecnoforma venceu 82 por cento das candidaturas aprovadas! Candidaturas a que todas as empresas privadas do sector, no quadro do programa Foral, poderiam concorrer…

Se forem analisados os concursos, entre 2002 e 2004, a Tecnoforma, mesmo assim, consegue 63 por cento de projectos aprovados!

A nível nacional a Tecnoforma consegue ter neste perídodo ter 26 por cento das suas candidaturas validadas.

Ao nível do país, no mesmo período, 26% das candidaturas privadas, que foram viabilizadas foram também subscritas pela Tecnoforma. Quem aplicava este programa político na altura? Quem geria os fundos? Miguel Relvas! Que era o Secretário de Estado da Administração Local do Governo de Durão Barroso. Sim, trata-te do primeiro-ministro, que nos disse que estávamos de “tanga” e que hoje …

Quem era o gestor do programa na região centro? Paulo Pereira Coelho (militante do PPD/PSD), Pedro Passos Coelho era consultor da Tecnoforma, António Silva era director comercial da empresa e vereador da Câmara Minicipal de Mangualde (pelo PPD/PSD) e João Luís Gonçalves era o administrador da empresa. Todos foram ligados à JSD e todos militantes do PPD/PSD.

O programa Foral foi aplicado durante seis anos, e foi financiado com dinheiro do Estado português e do Fundo Social Europeu. Cem milhões de euros foram gastos num programa que António Guterres começou em 2001.

Quem beneciciou mais deste dinheiro, foram as autarquias locais. Essencialmente as 278 do Continente. Empresas municipais, associações profissionais, entidades sem fins lucrativos e juntas de freguesia, também beneficiaram da maioria deste dinheiro, mas das milhares de empresas privadas que poderiam apresentar as suas candidaturas, uma distinguiu-se e foi a “estrela da companhia”, a Tecnoforma!

O primeiro-ministro já qualificou o alegado “favorecimento” de Miguel Relvas à Tecnoforma enquanto foi consultor da empresa, de um “absurdo”.

Pedro Passos Coelho, garante ter saído da empresa em 2004, mas o jornal Público, publica que o primeiro-ministro abandonou a empresa em 2007.

Mas isto ainda fica mais estranho, já como primeiro-ministo e em Agosto do mês passado (2012), existia uma procuração que permitia ao primeiro-ministro de Portugal, administrar uma empresa privada: a Tecnoforma.

Sobre esta procuração, Pedro Passos Coelho, afirmou-se surpreendido ao jornal Público, por esta não ter sido revogada pela empresa, e declarou tatar-se de um “engano seu”.

O que é certo, é que esta foi revogada pela empresa, depois de o jornal ter confrontado Passos Coelho com a situação.

Toda esta investigação nasceu devido às afirmações que podes ver abaixo, da actual vereadora da Câmara Minicipal de Lisboa, Helena Roseta, num programa da Sic Notícias, há uns meses atrás.

[hdplay id=447 ]

 

Entretanto, Pedro Passos Coelho, negou nesta segunda-feira (8 de Outubro de 2012), qualquer “favorecimento” de Miguel Relvas à Tecnoforma, ou a qualquer empresa a que tenha estado ligado.

Declarou ainda (nesta segunda-feira) que: “adoraria dizer aos portugueses, que não precisariam de pagar mais impostos”.

Eis o que dizia Miguel Relvas na oposição, antes de todos os escândalos já no Governo…

[hdplay id=448 ]

Miguel Relvas desde que está no Governo, já foi alvo de vários escândalos. Vários sectores da sociedade portuguesa e milhares de cidadãos, já solicitaram várias vezes a sua demissão. Pedro Passos Coelho não o demite! O primeiro-ministro, acha e a título de exemplo, a licenciatura de Miguel Relvas legal e decente!

Quem trabalha para quem, o Governo para os Portugueses, ou os Portugueses para o Governo?

Quem deve dar o exemplo a quem? Os Portugueses a quem os governa? Ou quem governa aos Portugueses?

Mais em Fora do Futebol

Untitled Document